Quem sou

1956 – Nasci! 05 de Dezembro em Álvares Florence SP
1960 – Vivi no grande sertão de Minas Gerais  próximo a Iturama
1963 – Ida para Santo André SP
1965- Mudança para Indiaporã SP
1972 – Mudança para Votuporanga SP
1976 – Ida para São Paulo SP

             Nessa breve linha do tempo, uma  história de vida: Minha infância em Indiaporã SP foram momentos de  alfabetização e paixão por todos os tipos de livros: Gibis, literatura etc. Após mudança para Votuporanga trabalhava durante a semana como bóia fria nos algodoais, cafezais e vários tipos de serviço para sustento, inclusive no lixão da cidade para fazer reciclagem e ajudar no sustento da família!
        Minha casinha era muito precária: Sem luz elétrica, água encanada e infra-estrutura, usávamos lamparina à querosene, e água do poço. À noitinha erámos forçados a doar sangue para os pernilongos, queimávamos estrumes de gado para espantar um pouco.
Apesar de tudo éramos felizes!

Finais de semana era sempre esperado, pois ia pela manhã com os braços cheios de gibis para trocar em frente ao cine Votuporanga e a noite curtia o famoso foothing na praça da Matriz no calor da cidade das brisas como é chamada a cidade.
             Com a chegada da maioridade senti o chamado pela cidade de São  Paulo. Apenas com a 4ª série, trabalhei nas empresas: Kentinha, Mercedes Benz, Banco Itau.
Após meu  segundo emprego na Mercedes e perdê-lo em 1990 senti na pele a urgência em terminar os estudos. Em 2004  terminei o curso de Letras na Metodista, prestei concurso no Estado e hoje sou professor efetivo em Língua portuguesa nas escolas públicas.

             Resido em São Paulo, atualmente casado, três filhos e sete netos com a idade de 60 anos  e sentindo o entardecer da vida, mas desejoso em deixar  minhas pegadas  nas obras  literárias.


                        Várias citações são meu mote para a vida como:

“Só passarei por este mundo uma vez. Assim, todas as boas ações que possa praticar, e todas as gentilezas que eu possa dispensar a qualquer ser humano, devo aproveitar este momento e fazê-lo. Não devo adiá-las nem esquecer-me delas, pois não voltarei a passar por este caminho”. – Provérbio Oriental

"Quem julga que sabe de tudo, priva-se de um dos melhores prazeres da vida, que é aprender"



                Contos e crônicas do cotidiano
                      Saudades de minha terra

"Que o dia de hoje seja melhor que o de ontem e pior que o de amanhã. Porque a vida é um eterno para frente e para o alto, não tem para trás... Mesmo que tudo pareça ir para trás." - Antônio Carvalho filho (rádio bandeirantes)




Postar um comentário